Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

A América do Sul é o novo epicentro da pandemia do (mesmo) Coronavírus!
O Brasil é o principal anfitrião duma catástrofe em proporção amazónica...
Nos restantes países sul americanos, os danos têm sido geridos com uma política mais responsável que a brasileira. Não é difícil, mas uma fronteira permite o contágio sem barreira...

A Colômbia tem recuperado lentamente, embora tenha os seus produtos cotados ao preço da chuva.
E como todos sabemos, a neve colombiana é bem mais valiosa...

A indústria tem retomado a produção e optado por medidas controversas. Muitas delas envolvem tapetes persas, entre a cama e o posto de trabalho...


(fonte da imagem: https://uk.reuters.com/article/uk-health-coronavirus-colombia-manufactu/colombian-factory-adds-bedrooms-for-workers-as-economy-slowly-reopens-idUKKBN2322HI)

Uma fábrica na Colômbia, implementou a colocação de camas no local de trabalho, para que os seus empregados façam um confinamento, com algum rendimento...

Têm o consentimento expresso de todos os trabalhadores, que preferem ficar na empresa do que na incerteza que a internet de casa falhe, durante uma videoconferência...

Em causa, está a saúde e segurança dos seus filhos. A maioria dos empregados tem medo de trazer o vírus para casa, entre algum trabalho suplementar...

Como muitos pais não têm quem tome conta dos filhos, alguns acabam por ficar sozinhos. Ficando vulneráveis às influências traumáticas da Telescola. Também a raptos de gangs...

Tal como na origem da pandemia, a China foi pioneira neste expediente prolongado!
A maioria dos chineses sempre esteve (habituado) a trabalhar enquanto dormia... vá lá, um bocado!

Estamos todos com saudades de ir comer a um restaurante!
Não só pela qualidade da comida, mas principalmente pela oportunidade de publicar uma foto do prato decorado com uma localização que seja diferente da nossa casa...

As medidas sanitárias dificilmente deixarão todos os habituais clientes descansados.
A não ser que o espaço seja no exterior, no meio do nada, e a refeição entregue com uma corda polida e imaculada...


(fonte da imagem: https://metro.co.uk/2020/04/28/restaurant-one-person-food-ziplined-kitchen-window-opens-middle-swedish-field-12622087/)

Bord för En significa 'Mesa para Um' e é o nome de um restaurante sueco que irá servir uma refeição por dia, para um só cliente, com um serviço de mesa extremamente prudente...

Apenas servirá refeições entre o dia 10 de maio e o dia 1 de agosto.
Contudo, estará seguramente aberto durante o ano todo...

A ideia do criador deste conceito passa por garantir total segurança ao cliente.
Mesmo não sendo potencial cliente, tenho a total de segurança para dizer que este chef já fritou a sua pipoca bem antes da pandemia...

Apesar do que se poderia esperar, o cliente apenas irá pagar o que considera ajustado.
A ementa consiste em 3 pratos, 1 cocktail e também inclui um -mais que certo- resfriado...

A comida sai diretamente da cozinha, sem passar pela relva aparada e chega à mesa através de uma cesta perfeitamente recheada!

Como vai acontecer com a maioria dos restaurantes, haverá uma medição de temperatura antes da entrada dos clientes. Desta forma, poderão comprovar que o chef não está demasiado febril para lhes preparar uma refeição que nunca esquecerão... 

A febre das máscaras sociais veio desenferrujar as máquinas de costura que já tinham pouca procura, dado que não se fazem bainhas em calças que não se usam...

Existem vários modelos, desde o algodão das t-shirts que não já entram nos ombros às cortinas velhas arrumadas nos escombros de uma arrecadação que ninguém quer arrumar...


(fonte da imagem: https://canoe.com/news/good-news/utah-moms-penis-face-masks-raises-thousands-for-charity)

Uma costureira de verdade angariou milhares de dólares para caridade, ao vender o seu modelo de  proteção facial, feito com tecido estampado de um multicolorido genital...

Ao longe, não é possível distinguir o padrão peniano e apenas ao perto se consegue perceber... que não estamos a cumprir a distância de segurança!

As máscaras custam cerca de 20 dólares e como ficam húmidas frequentemente, devem ser lavadas a uma temperatura nunca superior a 60º. Para não haver o risco de as pessoas terem de se chegar demasiado perto para reconhecerem o (hálito) estampado mirrado...

O teletrabalho é uma atual alternativa para ganhar a vida e esperar pela sorte...

A pior parte são as reuniões de videoconferência, em que somos obrigados a manter a decência.
Pelo menos, da cinta para cima...

O melhor lado é não sentir o olfato, dum perfume barato ou de um hálito que carece de distância de segurança de fio a... bafio!


(fonte da imagem: https://life.shared.com/boss-accidentally-turned-herself-into-a-potato-during-a-video-meeting-and-couldnt-fix-it)

Uma diretora amadora no Zoom, transformou-se numa batata e, a parte mais chata, foi não saber desligar o filtro até ao fim da videoconferência...

Os colegas ainda tentaram reverter a situação, mas como não a conseguiram 'descozer', tiveram de optar pela batata a murro...

A chefe batatinha sabia que ia estar frita, assim que o vídeo fosse parar às redes sociais!

Até porque a última vez que isso aconteceu, aparecia toda descascada, no quarto, com o seu marido... 

Recentes episódios de violência nas escolas portugueses, deixaram o país alarmado com a renomeação do ministro da Educação. E também preocupado com a falta de segurança nos recintos escolares...

Os métodos de ensino de alguns países são um exemplo de seriedade na qualificação, embora existam outros procedimentos que não devemos copiar...


(fonte da imagem: https://www.dailymail.co.uk/news/article-7595531/Indian-school-makes-students-wear-cardboard-boxes-heads-attempt-stop-cheating.html)

Uma escola indiana 'convidou' os alunos a usarem uma caixa de cartão na cabeça, para os impedir de copiar como enxames, durante os exames...

Cada estudante trazia a sua caixa de casa. Estavam autorizados a utilizá-la como pasta, caso colocassem os livros no seu interior e a transportassem debaixo de um braço...

A medida era opcional: os alunos não eram obrigados a colocar uma caixa na cabeça. Também podiam usar latas de tinta, baldes, alguidares e cestos de palha, sem asas...