Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

O ano de 2001 não trouxe boas memórias a ninguém! (Talvez ao Sporting...)
Não só pela tragédia do 11 de setembro, mas pela exibição do programa palerma Acorrentados.

Felizmente, não me lembro da combinação desse aloquete e apenas me recordo da educação fustigada da Tiazinha e o horror e da tragédia patentes na apresentação do Artur Albarran e do José Figueiras...

A propósito do Dia dos Namorados, esse cadeado foi novamente oleado e reutilizado por um casal cujo elo (e ela também) é inseparável...

(https://www.dailystar.co.uk/news/weird-news/woman-chains-herself-boyfriend-months-23575740)

Viktoria Pustovitova e Alexander Kudlay acorrentaram-se no Dia dos Namorados e planeiam permanecer amarrados até que as infeções cutâneas sejam maiores que o seu amor...

O casal ucraniano tem obviamente um traumatismo e este exibicionismo já os levou ao hospital, devido a úlceras graves provocadas pelas correntes que nem sequer têm aquele pelinho felpudo, cor de rosa...

Conseguem superar todas as dificuldades do dia a dia, principalmente aquelas necessidades a meio da noite. Onde um tem de se levantar da cama, para o outro se sentar na sanita...

Ambos trabalham, cozinham e até conduzem!
O maior obstáculo prende-se (haha) nas idas a casas de banho públicas. Sempre que ela tem o senhor castanho à porta, ele não pode ficar, como qualquer homem, atrás da porta, a segurar-lhe na bolsa...

As correntes são soldadas e não há forma de serem retiradas sem a ajuda de um serralheiro!
Ou a disponibilidade diplomática do Luís de Matos, para ir à Ucrânia e aproveitar a viagem para deixar um saco azul cheio do verde, do nosso governo, na casa de uma senhora viúva cuja vontade de visitar Portugal, não a aquece nem arreSEF... 

O frio que se sente no inverno é sessenta vezes maior quando alguém se senta na sanita...

Entre o conforto de estar sentado ou sentir o nalguedo gelado, há um salpico acre que nos convence a não tentar usar o robe ao contrário...

Existem coberturas e tampos de sanitas para pessoas menos aflitas, mas depois do primeiro uso é um abuso olfativo voltar a col(oc)á-las no interior das nossas coxas...


(fonte da imagem: https://www.dailystar.co.uk/news/weird-news/japanese-loos-say-hello-warm-23371604)

As novas sanitas japonesas 'dizem olá' a todas as certezas que temos ao querer passar mais tempo a fazer as necessidades fisiológicas, combatendo as adversidades meteorológicas como o frio e os aguaceiros, vindos de baixo para cima...

Basta levantar a tampa, para a sanita 'dizer olá' e 'sinta-se à vontade para soprar de todas as formas que consiga'...

Brilham no escuro, da mesma forma que nós brilhamos ao deixar entrar alguma claridade pelo portão onde nem um feijão costuma poder entrar...

Podem ser previamente aquecidas à temperatura desejada e são programadas para fazer a descarga ainda antes da entrada de ar pelas nossas trémulas narinas...

São a tecnologia de ponta (à ponta) mais procurada desde a 2ª ou 3ª (em qual é que vamos?) vaga da pandemia!

Conseguem medir a pressão arterial, o nível de açúcar e gordura corporal! Têm alguma margem de erro devido à dificuldade de distinção entre jogas, troncos, barro e lava porcelânica...  

Em plena pandemia, por vezes esqueço-me que as pessoas têm uma cara por detrás da máscara!

Ainda me conseguem arrancar uma gargalhada abafada, sempre que entram em algum local e dizem que se esqueceram da máscara. Não vá alguém dizer o contrário...

Felizmente, a distância social tem uns elásticos maiores que a máscara e nos impede de sentir um odor epidémico tão nocivo como o vírus...


(fonte da imagem: https://eu.usatoday.com/story/money/food/2020/10/14/hormel-black-label-bacon-face-masks-giveaway/3653043001/)

Uma empresa americana lançou no mercado uma máscara respirável com cheiro a bacon que garante um perfume a porco mesmo a quem tem um bafo de cavalo...

A ideia convenceu alguns americanos a começarem a usar máscara. Pelo menos até à hora do churrasco...

A distribuição do artigo tem provocado muita curiosidade, não só em humanos como em animais!
São vários os relatos de carrinhas de transporte perseguidas por multidões que salivam por meter o nariz onde... as máscaras estão embaladas!

O produto levanta muitas dúvidas entre a indústria de saúde e os consumidores.
Muitos se recusam a usar uma proteção aporcalhada que consegue mascarar completamente o cheiro a cebola e a alho...

As máscaras são reutilizáveis, mas correm sérios riscos de se tornarem descartáveis!
Depois de ingeridas, mastigadas e defecadas como paraquedas. Em queda livre para as sanitas...  

Enquanto sufocava com a máscara e esperava para ser atendido na farmácia, ouvi uma senhora a lamentar-se pelo facto de o seu filho estar fechado em casa, sem fazer nada...
O farmacêutico mostrou-se compreensivo e pediu-lhe tolerância durante este período complicado.
Ela garantiu-lhe que nada tinha a ver com a pandemia. Desde que saiu da escola, nunca quis ir trabalhar...

O aborrecimento tem comprovado porque é que não aguento percorrer os feeds das redes sociais...

Algumas brincadeiras até são saudáveis para passar o tempo.
Outras parvalheiras escorrem pelas calças como carpideiras infiltradas nas algibeiras...


(fonte da imagem: https://www.vkmag.com/magazine/mensen_doen_de_vreemdste_dingen_in_lockdown_de_pee_your_pants_challenge)

Pee in your pants challenge é o morno desafio que está a pingar no Tik tok e levou a reboque milhares de utilizadores que demonstram ter fugas por todos os lados... 


Tudo começou com uma paródia de um jovem que queria mostrar como a internet é um riacho proveniente duma nascente de esgoto. Desagua nas pontas dos dedos de quem só os viu em fotos e vídeos...

A moda rapidamente encheu as bexigas de quem sofre de incontinência de atenção!

A motivação para a realização deste objetivo, leva os participantes a ingerirem uma maior quantidade de cerveja. Só para se certificarem que conseguem superar a prova, de molharem a tijoleira da casa de banho...

A trend mijatória está a alcançar a trajetória da população mais idosa!
Vários influencers descobriram o potencial dos mais velhinhos para fazer este desafio. Muitos deles nem sequer têm redes sociais, para partilhar o bom funcionamento dos seus genitais...

A marca Tena Pants já avançou com uma ação de protesto!
Viu a sua faturação cair a pique, sem salpicar nenhuma gota para o fabricante deste vedante...

O Carnaval são 3 dias! Felizmente o resto da semana também... 
Viver mascarado de bebé pode durar uma vida inteira, desde que se arranje maneira de angariar fundos para fraldas, biberões e imberbes ilusões...


(fonte da imagem: https://lifestyle.thecable.ng/photos-meet-paigey-miller-25-year-old-woman-who-wears-nappies-for-a-living/)

Paigey Miller vive como um bebé e cria conteúdos na internet para miúdos e graúdos que lhe suportam o estilo de vida infantil onde lhe é permitido usar sempre fralda e mostrar o pernil... 

Muitos condenam este comportamento isento de responsabilidade e referem que a moça já não tem idade para mamar. Leitinho morno! Do biberão...

Gasta cerca de 300 euros em cocó na fralda só para não ter de usar a sanita e nunca fica aflita, com medo que a teta da internet seque e a obrigue a usar a retrete...