Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Se, por alinhamento dos astros ou uma cena dessas dos planetas, ainda não ouviram a música do Baby Shark... então, o universo vai conspirar a vosso favor para que este blog não volte a publicar conteúdo alucinogénico sem qualquer controlo parental...

 

HD Boneco Baby Shark à venda na Amazon.jpg

(fonte da imagem: https://www.goodhousekeeping.com/holidays/gift-ideas/a25359718/baby-shark-dolls/)

 

É a sugestão de Natal que ninguém merece!!!
Mãe, pai, filho (e até ninhadas desta praga...) em bonecos que cantam ininterruptamente a canção Baby Shark que faz as músicas do Panda parecerem doces sonatas de Chopin... 

 

A Pinkfong, marca responsável por esta pandemia sonora, rejeita comparações com exposição radioativa ou experiências com metanfetaminas....

Amianto adianto que não é patologia que não se supere, com incontáveis sessões de psicoterapia, galões de chá de camomila e maratonas de tricot...

Seguindo a sugestão bem lavada e preservatizada (?!) pelo Pedro, a notícia de hoje comprova que os preservativos (não) são um objeto valioso de se deitar fora ou que os americanos colocam o seu cérebro para lavar, juntamente com as camisinhas que nem chegam a suar...  

 

HD Americanos lavam e reutilizam preservativos.jpg

(fonte da imagem: http://www.dailymail.co.uk/health/article-5999791/CDC-urges-Americans-stop-using-condoms-turning-inside-washing-them.html)

 

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças nos EUA, revelou que 3% dos americanos lavam os preservativos para os voltarem a usar (espero eu, no mesmo membro...)!

 

Definitivamente, depois da pandemia de terem elegido Trump para presidente, os americanos já não estão muito preocupados com doenças menores como sífilis, gonorreia ou o VIH/SIDA...

 

Um senhor de idade perguntou-me, quando ainda era criança, se eu sabia quanto custavam os preservativos nos anos 60.
Disse-lhe que não fazia ideia. Ele disse-me que também não, ninguém os usava...