Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Eu nunca andei a cavalo. Já andei às cavalitas. Não aprecio. Fico com a zona das virilhas sobreaquecida e relincham-me se lhes puxo a crina...

A arte equestre não é para todas as algibeiras...
Como dizem os franceses: "Sela via!"... É assim que se diz, certo?!

HD Jovem salta como um cavalo.jpg

(fonte: https://whatsnew2day.com/teen-becomes-obsessed-with-jumping-like-a-horse-after-becoming-addicted-to-animal-planet)

Uma jovem canadiana não precisa de um cavalo para saltar.. como um!?
Treina há mais de 6 anos e tem uma alimentação normal, para um humano...

Esta prática saltitona revela-se muito saudável, embora a opinião pública acha que isto cheira a esturro!
Sair do sofá para correr e saltar ao ar livre é como passar de cavalo para (e o) burro (sou eu?)...

O cego sexismo visita pontualmente este blog e é cordialmente recebido com insultos motivadores que o aconselham a fazer uma viagem... de volta ao século XIX!!!

 

 Qual é a vossa opinião sobre as colaboradoras de uma empresa que usam invariavelmente saias curtas, vestidos com menos pano ou decotes que fazem lembrar as máquinas antigas de picar o ponto???

 

Consideram que o fazem uma vez que estão no seu pleno direito de usar o que o dress code da empresa não menciona, pelo facto de obterem melhores resultados (na tabela mensal de assédio sexual...) profissionais ou somente para se habilitarem a um bónus de €1,37/hora pago por uma empresa russa às suas funcionárias que usem menos roupa e mais make up???? 

 

HD Empresa paga bónus a mulheres que usem saias e

(fonte da imagem: https://www.news.com.au/lifestyle/fashion/company-slammed-for-paying-female-staff-to-wear-skirts/news-story/3d1d0ce86e686666f6726ff712218a32)

 

De realçar que a mesma empresa, também promove competições amigáveis em troca de dinheiro para homens. Tais como concursos de flexões e incentivos pecuniários para sacudir a pressão a quem lave as mãos depois de urinar...

Lembro-me (como se fosse agora que procurei no blog...) quando me pronunciei sobre caixões confortáveis. É óbvio que nem todos partilham a minha opinião, até porque ninguém deverá partilhar um caixão, por muito caro que seja o IMI deste imóvel a longo prazo...

 

Como uma mulher prevenida quando ocupa o espaço equivalente vale por duas, é mais razoável escolher já a caminha de madeira que garantirá a eterna soneira...

 

HD Mulher compra o seu próprio caixão.jpg

(fonte da imagem: https://www.mirror.co.uk/news/weird-news/woman-buys-coffin-prepared-shes-13965602

 

Zodwa Wabantu, uma sul africana famosa e acautelada, resolveu colocar no Instagram a aquisição do seu próprio caixão, sem qualquer razão que caiba... numa cabeça bem apertada!!!  

 

Os seus seguidores ficaram boquiabertos, quando a viram no provador com a porta aberta...


Será menos um problema para se preocupar quando morrer (!) ou haverá aqui alguma estratégia de marketing patrocinada pela funerária local que oferece as flores em troca de dinheiro que nunca será enterrado em bolsos bem forrados???

Recentes decisões de juízes têm chamado a atenção da opinião pública (departamento sofá e chaise longue) sobre a adequada condenação de cidadãos que lavam as mãos com  sabão rosa de barra e água que chega a ferver, mas é arrefecida para não queimar ninguém...

 

HD Condenado a ver o Bambi uma vez por mês.jpg

(fonte da imagem: https://www.smh.com.au/world/north-america/poacher-who-killed-hundreds-of-deer-sentenced-to-repeatedly-watch-bambi-20181218-p50mvx.html)

 

Condenado a um ano de prisão por matar veados ilegalmente, este 'gnu almiscarado' foi obrigado pelo juíz, a ver o filme Bambi uma vez por mês até decorar as falas todas e fazer teatro amador para a freguesia no salão paroquial!

 

É verdade que somos obrigados, nesta época de Natal, a ver o Sozinho em Casa e não cometemos nenhum pecado (para além de comermos tudo o que couber no bucho e fazermos de conta que prestamos atenção às histórias que alguns familiares já repetiram... vezes sem conta!)

 

Creio que o condenado vai aprender a lição* e depois de ver 12 vezes o filme, pedinchará para ver o Natal dos Hospitais sem intervalo para encomendar um Calcitrin ou um Mangostão Mais!

 

*Lembram-se daquela cena, quando o coelhinho Tambor diz para a sua mãe que o Bambi é esquisito e ela lhe responde: - Tambor, se não tens nada agradável para dizer, não digas nada! ???
Esta ainda é a lição que eu me recuso a aprender...