Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

A higiene íntima feminina começa a puxar o cordel do reaproveitamento das embalagens e surgem novas alternativas ecológicas, aos tampões e pensos higiénicos. Para além de serem reutilizáveis, são produtos amigos do ambiente. E dos homens, que nunca sabem onde encontrá-los no supermercado...

HD 3 novos substitutos para os tampões_SAPO.jpg
(fonte da imagem: https://www.mirror.co.uk/news/weird-news/forget-tampons-three-new-products-20072717)

Copos menstruais, pensos laváveis e cuecas com penso embutido são as novas soluções sustentáveis, para aqueles dias do mês mais insuportáveis...

Os copos são comercializados em 2 tamanhos. Meio cheio e a esbordar...
Passam quase despercebidos, para quem já está habituada a usar calças de balão!

Os pensos e as cuecas lavavéis podem ser lavados à mão e não devem ser misturadas com outras peças de roupa durante a lavagem. O tambor da máquina pode enferrujar e ganhar 'menstruário' na resistência... 

Recentes estudos em Portugal, confirmam a descida da natalidade e o aumento exponencial dos pensionistas que apenas só conseguem levantar... a reforma ao início do mês!

 

Por sua vez, um otário visionário autarca francês defende que a solução para este flagelo é oferecer viagra a casais entre os 18 e 40 anos!!! Não é nessa faixa etária que se consegue encher o bolso da frente das calças???

 

HD Autarca oferece viagra para aumento da natalida

(fonte da imagem: https://www.local10.com/news/international/free-viagra-offered-to-help-repopulate-town)

 

Já imaginaram o que seria andar num autocarro apinhado daquela cidade?
(- Desculpe, não se importa de fazermos um duelo de esgrima enquanto não chego à minha paragem?)

 

Em França, o viagra só é vendido com receita médica.
No mesmo país, os autarcas são comprados eleitos pela farmacêutica população, com a esperança de percorrerem um caminho melhor. Sem filhos, nem maltrapilhos ou com as mãos em andarilhos...

Recentes decisões de juízes têm chamado a atenção da opinião pública (departamento sofá e chaise longue) sobre a adequada condenação de cidadãos que lavam as mãos com  sabão rosa de barra e água que chega a ferver, mas é arrefecida para não queimar ninguém...

 

HD Condenado a ver o Bambi uma vez por mês.jpg

(fonte da imagem: https://www.smh.com.au/world/north-america/poacher-who-killed-hundreds-of-deer-sentenced-to-repeatedly-watch-bambi-20181218-p50mvx.html)

 

Condenado a um ano de prisão por matar veados ilegalmente, este 'gnu almiscarado' foi obrigado pelo juíz, a ver o filme Bambi uma vez por mês até decorar as falas todas e fazer teatro amador para a freguesia no salão paroquial!

 

É verdade que somos obrigados, nesta época de Natal, a ver o Sozinho em Casa e não cometemos nenhum pecado (para além de comermos tudo o que couber no bucho e fazermos de conta que prestamos atenção às histórias que alguns familiares já repetiram... vezes sem conta!)

 

Creio que o condenado vai aprender a lição* e depois de ver 12 vezes o filme, pedinchará para ver o Natal dos Hospitais sem intervalo para encomendar um Calcitrin ou um Mangostão Mais!

 

*Lembram-se daquela cena, quando o coelhinho Tambor diz para a sua mãe que o Bambi é esquisito e ela lhe responde: - Tambor, se não tens nada agradável para dizer, não digas nada! ???
Esta ainda é a lição que eu me recuso a aprender...