Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos



Uma mulher descobriu que o seu ginecologista é o seu pai biológico e é lógico que não ficou de braços cruzados, nem voltou a descruzar as pernas...

Ao fim de 9 anos de consultas periódicas, ficou a saber que o ginecologista familiar é realmente da família...

Sabia de antemão que o Dr. Morris Wortman supervisionara a inseminação artificial pela qual nasceu, confirmando assim que deu uma mãozinha na sua conceção...

Enganara a sua mãe, informando-a que o esperma foi doado por um estudante de confiança.
Era como se fosse o seu braço direito...


Foram precisas várias tentativas para a sua mãe conseguir engravidar. Ela chegou a perguntar se o médico fazia tudo direito. Ele garantiu-lhe que sim, mas os avanços da medicina nos anos 80, ainda eram um tiro no escuro...

Até à descoberta, não tinha nada a apontar ao ginecologista!
Ao contrário dele, que chegava por vezes a apontar onde iria começar a trabalhar...

Começou a desconfiar que havia algo estranho, após o Doutor convidar a sua esposa para entrar no consultório e lhe questionar se achava a paciente parecida consigo. Ela disse-lhe que sim e perguntou-lhe se era mesmo necessário ter de responder a essa questão, sempre que alguém se sentava na escachadeira...

No decorrer da investigação e após os resultados do ADN, ficou também a saber que tem 6 meios irmãos. Todos com um trauma, esse sim, bem inteiro...


O doutor Estranho Ardor conhecia a paciente desde que ela era uma bela criança!
Assim que chegou à idade adulta, começou a ser acompanhada por ele que passou a conhecer mais profundamente a sua beleza interior... 

Na queixa-crime que apresentou ao saber da sua parentalidade, para além de má prática médica, alega que o pai há muito que se metia na sua vida...

(fonte da imagem: https://www.indy100.com/news/gynaecologists-examine-you-thinking-confessions-medicine-whisper-women-health-7965586)
(fonte da notícia: https://www.mirror.co.uk/news/us-news/woman-35-discovers-gynaecologist-70-25005379)



Edith Murway-Traina é uma halterofilista com 100 anos de idade e levanta-se da cama para levantar os pesos que os mais novos obesos preferem arrastar ao longo da vida...

Começou a frequentar o ginásio apenas aos 91 anos, quando o seu médico lhe disse que tinha falta de ferro...

Consegue levantar 68 quilos e fazer levantar o flácido ferro de alguns dos seus amigos que ficam a vê-la praticar...

É uma fonte de inspiração para todos os colegas do lar que para começar, vão esforçar-se para tentar levantar a tampa da sanita, sempre que conseguirem chegar à casa de banho...

Já competiu em dezenas de concurso de halterofilismo e ganhou a maior parte deles.
Uns pela sua performance, outros por falta de comparência súbita de outros concorrentes...

É a mulher halterofilista mais velha em atividade e pela idade está sem intenções de lhe verem pregar ferros no seu caixão...

Foi forçada a parar devido à pandemia, pois muitos dos sócios mais novos do ginásio representavam um grupo de risco...

Conquistou o respeito de militares que lhe fazem continência no ginásio e a distância de secura de praticantes mais séniores da ginástica de incontinência...

Antes de ser halterofilista era bailarina!
Confessa que gostou sempre de ser o centro das atenções e não uma poltrona adornada, encostada num canto da sala de estar... viva!

(fonte da imagem: https://barbend.com/100-year-old-edith-murway-traina-powerlifter-guinness/)

Uma menina libertina nascida na China, foi abandonada pelos seus pais, numa ilha deserta para aprender que existe vida, do lado de fora da porta do seu quarto... 

Foi encontrada por pescadores locais que estranharam ver uma jovem, numa ilha, sem tirar selfies e fazer vídeos para o Tik Tok...

Permaneceu 2 dias sozinha na ilha. Tinha apenas bolachas e água para se alimentar.
Depois desta experiência solitária, vai passar a relativizar o lanche escolar!
Caso regresse à escola, claro...

A adolescente tem 13 anos e recusava-se a ir às aulas, saindo apenas do seu quarto para comer, ir à casa de banho e reiniciar o router da sala, sempre que a internet ia abaixo...

Esta abordagem extrema de educação, segundo os pais, foi uma medida de desespero!
A menina já mal falava com eles e precisava de levar uma lição sobre a vida... de Robinson Crusoé!

Antes de mandarem a filha para o colégio do ilhéu, consultaram um especialista de sobrevivência.
O mesmo assegurou-lhes que não havia nenhum problema de maior, em abandonar uma criança por algum tempo. Ele próprio já o fizera. E quando lhe falaram nessa ideia, ele começou a coçar a cabeça, como se tivesse esquecido de algo...

O plano passava por monitorizar, sem que a jovem se apercebesse, do seu comportamento na ilha.
Durante o primeiro dia tudo decorreu com normalidade. Com a menina encostada a uma palmeira, à espera que o dinheiro caísse de uma árvore...

Todavia, ao segundo dia a ver navios, sem uma rede para se deitar e ligar o telemóvel, a náufraga forçada, conseguiu pedir ajuda externa, regressando à sua prisão voluntária domiciliária.
E acabou por não aprender com quantos paus se faz uma canoa... 

(fonte da imagem: https://www.odditycentral.com/news/parents-try-to-tame-rebellious-daughter-by-taking-her-to-deserted-island.html)

Todas as tatuagens têm uma história pintada! Até porque quem as faz tem necessidade de contá-las, vezes sem conta, com a mesma tinta onde espeta a ponta...

- Já te contei porque me lembrei de fazer esta tatuagem?
- Hoje? Ainda não...

O lado bom das redes sociais é poder ver as tatuagens ainda antes de estarem terminadas!
As histórias são igualmente contadas, para quem as quer ler entre notícias pespontadas...


(fonte da imagem: https://www.mirror.co.uk/news/weird-news/woman-who-always-struggled-tell-23440518)

Uma menina desnorteada tatuou a inicial da esquerda e da direita, em cada mão, para não fazer mais confusão e perceber que direção deve seguir, sempre que se desencontrar num cruzamento...

Existem muitas pessoas com enormes dificuldades em distinguir a direita, da esquerda!
E isto também se pode aplicar à política de extrema... centro?!

Pior que não saber, onde fica a esquerda ou a direita, é não perceber o significa ficar parado. Fechado. Em casa...

Muitos amigos faziam troça da moça não conseguir distinguir cada um dos lados!
Após ter feito as tatuagens, esses amigos deixaram de ser os únicos a saber da bravata batota e agora têm de se alinhar nos comentários incendiários, duma publicação com tinta na mão...

Nem todas as tatuagens têm de ser bonitas. Algumas podem ser funcionais, práticas e uma excelente forma de distrair o olhar de quem está a pensar em desistir de usar lembretes e post-its...

Foi um Natal diferente de anos anteriores!
Se, para alguns, não houve nenhuma redução na reunião familiar, então os próximos dias poderão confirmar se foi um Natal memorável, no pior sentido positivo...

A alegria natalícia continua a ser embrulhada com laços cada vez menos apertados e as prendas não têm de ficar paradas, após serem usadas sem qualquer reembolso nostálgico...

(fonte da imagem: https://gulfnews.com/world/offbeat/colombian-taxi-driver-and-canine-co-pilot-spread-christmas-cheer-1.1608879247300)

Um taxista colombiano e o seu c(ã)o-piloto espalharam a alegria natalícia (e algum fumo para a atmosfera...) vestidos a rigor com fatos de Pai Natal, óculos de aviador e barba farta por cima do pelo...

O taxista havia encontrado o rafeiro abandonado há alguns anos e desde aí começou a ocupar o lugar do passageiro, onde ninguém gosta de se sentar...

Faz-lhe companhia nos momentos mais difíceis. Não quando está sozinho, mas quando tem clientes que não param de ladrar durante toda a viagem...


Geraram-se filas de pessoas para darem um passeio pela cidade com a companhia canina!
Bem, as filas já existiam devido às compras de Natal e cada vez há menos táxis...

O turno começava às 4 manhã e só fazia algumas pausas depois do recolher obrigatório da pata do cão, após ter realizado a marcação de território...

O canito Colonel também se costuma fantasiar de polícia, durante o resto do ano.
Tem menos atenção, pois os clientes receiam que ele possa meter o nariz nas malas onde não é chamado...