Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

 

Este (dis)funcionário sénior ainda não dorme no ponto e pica o ponto na mesma empresa há 84 anos!
Não planeia reformar-se, nem afastar-se da labuta diária, onde é uma inspiração para todos os brasileiros e um orgulho para a Segurança Social que pode aplicar os seus descontos no Rendimento Social de Inserção, para um milhão de potenciais trabalhadores...

Walter Orthmann já completou 100 anos de vida e começou a trabalhar em 1938, com apenas 15 anos e uns trocos nos bolsos que mal lhe davam para comprar umas calças...
Começou como assistente de exportação e, de promoção em promoção, subiu na carreirasubstituindo cargos superiores que subiram a escadaria até ao céu...

O trabalho ajuda-o a passar o tempo que parece um calvário, quando está de férias...
Recorda o tempo de adolescência, onde não havia água canalizada, iluminação pública e muito menos computadores que agora fazem o trabalho todo e nos ocupam o resto do tempo livre, depois de sair do trabalho...

O Walter nunca demonizou a tecnologia e assume ser uma mais-valia num tempo cada vez mais agitado, agravado pelo estado avançado da doença de Parkinson...
Graças à internet e a um computador pessoal, viaja muito menos pelos vários continentes onde a empresa está sediada, mas desloca-se mais regularmente à sanita do mesmo incontinente...

Não há trabalho sem descanso e não quer dar descanso ao trabalho!
Como não quer ficar atrás dos estagiários, ainda se sente capaz de dar horas extras, para fechar as contas no fim de cada mês. E naqueles dias em que adormece com a cara no teclado, onde tenta instalar uma placa externa nesse periférico...

Na entrevista dada à rede Globo, Walter não se esqueceu de dar conselhos aos mais jovens!
O segredo da sua longevidade profissional, deve-se à distância de segurança dos Centros de Emprego e das formações comparticipadas pelo Governo, cujo valor pago pelo subsídio de alimentação, não chega para comer uma sopa passada na cantina social...

'Escolhe um trabalho que gostes e não terás de trabalhar um dia na tua vida' é a sua citação favorita que deixa qualquer um Confúcio...
Confessa que nunca viu o seu trabalho como uma obrigação, principalmente nestes últimos anos, onde tem sido submetido a várias cirurgias às cataratas...

(fonte da notícia: https://www.odditycentral.com/news/worlds-most-loyal-employee-has-been-working-for-the-same-company-for-84-years.html)


Uma empresa japonesa colocou à venda abrigos nucleares compactos, capazes de caber em apartamentos pequenos e de nos proteger da inveja dos vizinhos que criticam as nossas marquises exteriores suscetíveis de lhes fazer arder os olhos...


A WNIshelter tem pequenas casotas aptas para proteção eficaz contra catástrofes naturais, radiação e ataques de mísseis! Apenas não conseguem impedir a entrada do cheiro fétido a fritos dos nossos oleosos vizinhos...

Para além de revestimento blindado, possuem um sistema de filtração de ar e conseguem albergar até 7 humanos, animais incluídos. Por isso, se têm uma família numerosa, lembrem-me de colocar os animais a salvo e aconselhar alguns familiares a apanhar ar e sol para repor os índices de vitamina para o dia D...

A compra do abrigo nuclear, inclui a sua instalação e remoção de móveis e outras decorações antigas por parte de especialistas japoneses em mudanças. Para o mercado português, há já uma ressalva que alerta para a falta de preparação técnica para manusear algumas peças como cães de loiça, napperons e quadros do Menino da Lágrima...

Vários clientes já experimentaram os casebres e não ficaram totalmente convencidos da sua eficácia para proteção contra armas biológicas. Quase todas as queixas dos utilizadores trancados nos cubículos, referiram conseguir, ainda assim, cheirar do exterior, desodorizantes em spray e descargas em jato não detetadas pelo WC Pato...

A empresa descarta qualquer tipo de aproveitamento face à ameaça nuclear premente!
Segundo o responsável de vendas, os abrigos podem também ser utilizados como refúgios para visitas inoportunas de amigos e família que sobreviveram à pandemia...

Até ao desenvolvimento deste cubículo, apenas multimilionários e oligarcas russos poderiam adquirir bunkers de proteção contra as ameaças químicas e biológicas.
E mesmo os mais ricos consideram esta aquisição paranoica e claustrofóbica, quando comparada com uma viagem de iate até às Maldivas...

(fonte da notícia: https://www.odditycentral.com/news/this-indoor-nuclear-shelter-fits-even-in-a-tiny-apartment.html)


Na Coreia do Surdo, há uma barulhenta procura por dispositivos sonoros concebidos para a vingança de vizinhos que fazem ruídos, para além dos carinhos e gemidos permitidos pela lei dos condomínios...


Antigamente, quando víamos um homem de vassoura na mão, não era para varrer o chão. Mas sim para bater no teto e advertir o vizinho insurreto e recomendá-lo a introduzir algo no seu reto. Metaforicamente, claro...

Com a tecnologia disponível, é bem mais acessível instalar uma coluna de som no teto ou parede, para acalmar a sede de quem pensa que pode dar os saltos que quiser, sem usar nenhuma rede...

As Colunas de Vingança são a última esperança de alguns moradores da Coreia do Sul, que já perderam o norte e já não se importam assim tanto, com a sorte da família que lhes calhou bem acima da alcatifa...

Estes gadgets ruidosos podem ser programados para serem acionados, ao detetar movimento e dar um novo alento ao nosso dia de trabalho, sabendo que o nosso vizinho de cima, a meio do dia, nos manda para o c#r@lh0... 

Nem todos os sul-coreanos, concordam com a utilização destes aparelhos e consideram aceitável o ruído provocado pelos vizinhos. Quando comparado com a comunicação habitual do casal...

Os dispositivos não são ilegais, todavia o bom senso aconselha o diálogo entre vizinhos, usando métodos mais conservadores de resolver os seus atritos. Como o manuseamento de armas de fogo, após um jantar bem regado que culmina com um café, um bagaço e bolas de aço da testa do vizinho...

Podem ser adquiridos por cerca de 150 euros. Um valor bem inferior à soma do smartphone e os auscultadores do filho adolescente que poderia partilhar a música K-Pop com a vizinha que finge não o conhecer no elevador...

O Smartor é o modelo mais procurado! Tem uma forma anatómica oval, igual à meloa com que ficam os vizinhos depois de ligado até lhes saltarem as pevides... 

Na China, são mais comuns um redutores de ruído que apenas emitem sons ambientes que encobrem o cagaçal da vizinhança. Mas também são utilizados mecanismos que abanam literalmente os edifícios, levando os vizinhos a pensar que a família Parkinson acabou de se mudar para o seu prédio...

(fonte da notícia:https://www.odditycentral.com/news/wall-mounted-noise-maker-helps-south-koreans-deal-with-noisy-neighbors.html)


Um senhor bufador assumiu a sua atração sexual por balões e têm mais de 50 mil a encher a sua casa com ar, borracha e nenhuma pachacha colorida...


Julius é obcecado por balões desde que a sua mãe lhe trouxe um, enquanto estava no hospital aos 4 anos. Se lhe tivesse oferecido um chupa-chupa, esta obsessão teria mais sabor, menos volume e certamente nenhum azedume ao soprar um balão até o estourar. A ele...

São mais de 50 anos de culto balonista, onde construiu um santuário onde não é permitida a entrada de velas. Acesas. Pois, perderia o seu precioso fôlego para as apagar...

O seu amor genuíno por balões não é apenas platónico!
Assume que lhe confere uma conexão sexual, dado que cada vez que vê um balão no ar, também sente que uma parte sua se levanta...

Confidencia que lhe dá alegria ao ver os balões tomarem forma e vida, com o sopro que sai dos seus pulmões e lhe faz bater o coração e tilintar o fecho da braguilha...

Ao contrário do que se possa exalar, Julius tem uma mulher de verdade que não se importa que ele se ocupe a soprar balões, desde que ainda guarde algum ar para lhe bufar quando é preciso...

Chegou a consultar alguns psiquiatras que não lhe diagnosticaram qualquer patologia grave!
Aconselharam-no, todavia, a moderar o enchimento de balões e fazê-lo apenas em algumas ocasiões de festa, como aniversários e babyshowers...

Está proibido de andar em balões de ar quente, pois é intransigente nas buscas corporais que suspeitam apontar uma alegria visível que ocupa, não só muito espaço nas suas calças, mas também na cesta onde entram mais passageiros...

A sua paranoia pela ramboia colorida, leva-o a visitar estabelecimentos comerciais, logo após festividades onde os balões utilizados começam a ficar mirrados e precisam de ser reanimados com massagens balonais e respiração boca a boca...

A sua família ainda não desistiu de o demover a continuar com este ritual bizarro!
Já tentaram substituí-lo por alternativas mais saudáveis, como começar a fumar depois dos 60 e até mudar-lhe a residência para um lugar frio onde precisa mesmo de bufar, para aquecer as mãos...        

(fonte da notícia: https://www.ladbible.com/community/man-sexually-attracted-to-balloons-20220214)



Se deixou de beber leite, pode voltar a fazê-lo e basta arrancar o grelo da batata, espremê-la até ficar chata e coá-la até se tornar uma fonte de cálcio, numa terra barata...

O leite de batata é a bebida sensação do novo boião de uma solução ecológica para continuar a consumir leite, sem criar gado que rejeite ser ordenhado sem receber ordenado...

O leite de amêndoa e soja já têm os dias espremidos e os novos batidos de batata são igualmente ricos em proteína de lata, pacote ou garrafa vendida ao lote...

A DUG é a única empresa que comercializa este leite descascado, mas o mercado do 'faz em casa' já começou a reproduzir a bebida na banca da cozinha, antes que a vizinha publique fotos no Instagram, com as beiças esbranquiçadas e as batatas descascadas...

Inúmeros vídeos de 'como fazer leite de batata' já estão plantados no Youtube e os mais engraçados são aqueles em que os vídeos são cortados, sempre que os filhos interrompem as cozinheiras ao dizer 'Por que é não fazes antes batatas fritas, Mãe?'

A opinião de quem já provou o leite da DUG não é consensual!
Há quem diga que só sabe a casca, há quem o enfrasca dum só gole e há quem o considera quase tão salgado e mole, como o leite caseiro da marca Kospoing Ole...

As vendas do produto já estão enraizadas no Reino Unido, mas ainda não chegaram ao ouvido dos americanos que só admitem experimentá-lo se ele conseguir passar no ralo da pia das cozinhas que não utilizam... 

Em termos nutricionais, fica bem atrás dos demais, sendo 8 vezes menos rico que o leite de soja e 3 vezes menos nutritivo que o leite de amêndoa!
Ainda assim, a diferença de proteína, pode ser compensada, mastigando as pastilhas elásticas feitas das cascas que não se tornam compostagem. Se bem que rilhar chicletes não é bom para a imagem...

A especulação sobre a distribuição massiva do leite batatinha já fez disparar o preço dos sacos de serapilheira que, à sua maneira, já observam as batatas a querer fugir da sua fileira... 

A sustentabilidade da sua produção é a sua mais-valia, desde que se continue a contratar imigrantes ilegais para vergar a mola e encher a sacola rota de batatas quentes...

(fonte da notícia: https://www.odditycentral.com/foods/potato-milk-the-new-health-drink-thats-about-to-take-the-world-by-storm.html)