Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Enquanto se receia pelo decreto de novo confinamento, muitos noivos realizaram o seu casamento!
Apesar de algumas restrições na cerimónia, é preferível juntar já os trapinhos antes que os caminhos se separem...

A contenção de despesas começa nas despensas e acaba quando todos os envelopes ficam vazios...

Rios de dinheiro são gastos em casamentos, para que um dia inesquecível fique rapidamente afogado ao nível da água que só é servida em casa, na ressaca dos pés em brasa... 


(fonte da imagem: https://www.mirror.co.uk/news/weird-news/couple-spend-2000-cardboard-cutouts-22665875)

Um casal inglês gastou mais de 2 mil euros 'em cartão', com 50 convidados que foram recortados para estarem presentes no dia mais importante... da empresa que recebeu esta encomenda!

Devido à subida do número de casos do Covid-19 no Reino Unido, apenas é possível realizar casamentos com 30 pessoas, onde o distanciamento tem de ser maior que o praticado entre o noivo e a sua sogra...

Pediram fotos a todos os amigos que gostariam de ver presentes e foram esses os únicos presentes que chegaram a receber...

Apenas 14 pessoas compareceram no casório, mas um facto notório foi o desaparecimento de alguns convidados 'encartonados' que podem ter sido raptados e estarão cativos no fundo de gavetas e armários...

Segundo os noivos, o valor gasto nos recortes foi inferior ao que era reservado para álcool!
Todavia, no fim da pandemia, será realizada uma festa em que participarão todos os amigos e familiares (ainda vivos), onde o cartão apenas será utilizado como base para copos...

A vívida memória do confinamento ainda nos assola o pensamento!
Estar em casa para tentar esquecer o que poderíamos estar a fazer, não é uma ideia saudável.
Pelo menos, para quem precisa de sustentar os vícios da alimentação, alojamento e pagamento de contas, a prazo vitalício...

Alguns estilos de vida abraçaram a quarentena como uma travesseira amena. Quando aquece em demasia é voltada do avesso e continua a ser o confesso mais ergonómico...

A maioria encarou-o como uma experiência forçada, ainda assim remunerada por um lay-off subcontratado por um rendimento mínimo de um expoente máximo...


(fonte da imagem: https://www.albawaba.com/editors-choice/german-university-paying-grants-1900-doing-nothing-1375823)

Uma universidade alemã não parece lá muito sã, ao lançar com concurso que remunera participantes disponíveis para fazer o menos possível, durante o tempo que quiserem...

Poderíamos facilmente dizer que o mesmo já acontece com as bolsas que são atribuídas a estudantes diletantes. Seria errado, pois, a capacidade de deslocação entre casa e escola, tem de ser premiada com um par de livros na sacola...

Os concorrentes têm de fazer a candidatura, explicando pormenorizadamente, como pretendem receber os 1.900 dólares sem fazer nada por isso. Ou seja, dá mais trabalho pensar na ideia do que propriamente pô-la em prática...

Para além de todos os desempregados do país, calcula-se que o número de candidaturas pode superar os votos das legislaturas do ano passado...

A América do Sul é o novo epicentro da pandemia do (mesmo) Coronavírus!
O Brasil é o principal anfitrião duma catástrofe em proporção amazónica...
Nos restantes países sul americanos, os danos têm sido geridos com uma política mais responsável que a brasileira. Não é difícil, mas uma fronteira permite o contágio sem barreira...

A Colômbia tem recuperado lentamente, embora tenha os seus produtos cotados ao preço da chuva.
E como todos sabemos, a neve colombiana é bem mais valiosa...

A indústria tem retomado a produção e optado por medidas controversas. Muitas delas envolvem tapetes persas, entre a cama e o posto de trabalho...


(fonte da imagem: https://uk.reuters.com/article/uk-health-coronavirus-colombia-manufactu/colombian-factory-adds-bedrooms-for-workers-as-economy-slowly-reopens-idUKKBN2322HI)

Uma fábrica na Colômbia, implementou a colocação de camas no local de trabalho, para que os seus empregados façam um confinamento, com algum rendimento...

Têm o consentimento expresso de todos os trabalhadores, que preferem ficar na empresa do que na incerteza que a internet de casa falhe, durante uma videoconferência...

Em causa, está a saúde e segurança dos seus filhos. A maioria dos empregados tem medo de trazer o vírus para casa, entre algum trabalho suplementar...

Como muitos pais não têm quem tome conta dos filhos, alguns acabam por ficar sozinhos. Ficando vulneráveis às influências traumáticas da Telescola. Também a raptos de gangs...

Tal como na origem da pandemia, a China foi pioneira neste expediente prolongado!
A maioria dos chineses sempre esteve (habituado) a trabalhar enquanto dormia... vá lá, um bocado!

Durante o confinamento, o distanciamento social era quase total!
À exceção entre os familiares que partilham o mesmo lar e a mesma vontade que os restantes membros se distanciem, para fora de casa, o máximo de tempo possível...

O distanciamento fora de portas, para dentro de outras portas que estiveram fechadas, confia na tecnologia para nos manter longe do vírus e cada vez mais longe de uma presença humana...

O salto tecnológico veio aterrar em cima dos trabalhadores menos qualificados e, para mal dos seus pecados, não tardará a levantar voo sem qualquer tripulante... 

Se antes da pandemia, era uma companhia de frequência, a robótica é agora a ciência mais distante dos centros de emprego...


(fonte da imagem: https://cyprus-mail.com/2020/05/26/south-korean-cafe-hires-robot-barista-to-help-with-social-distancing/)

Um café sul coreano vai passar o resto do ano, a contar com um robot barista e com menos um funcionário em vista, com o resto dos dias contados...

O robot janota 'toma nota' dos pedidos, faz mais de 60 cafés diferentes e traz as bebidas para as mesas dos clientes que agradecem com um sorriso, para o respetivo smartphone...

Pode receber e processar informação diretamente de clientes, gerentes e outros robots nerds que ocupam funções de back-office...

A disposição das mesas e os sensores integrados, permitem que o 'robotecado de mesa' calcule a distância, faça o atalho e não atropele ninguém, para além de quem já nem precisa de usar máscara no seu trabalho...  

Até ao fim do ano, mais 30 colaboradores com motores incorporados, vão ser introduzidos na mesma cadeia de restauração que assegura que não irá despedir nenhum trabalhador humano, responsável por os programar e ligar à tomada...

A desobediência ao confinamento tem aumentado significativamente!
Durante as semanas de quarentena, muitos já questionam se valerá a pena, ficar em casa, confortável e aguardar pelo fim da cena do próximo filme...

O crime de desobediência à propagação da doença pode ir até 2 anos de prisão.
Os números da pandemia confirmam que o confinamento entre 4 tábuas pode ir até ao fundo da cova...

Como a prisão não consegue demover os covidiotas de tossir fora de portas, já foram implementadas novas medidas que conseguem agarrar a atenção de quem foge à instrução...


(fonte da imagem: https://nypost.com/2020/04/28/indian-cops-using-tongs-to-nab-people-breaking-coronavirus-lockdown/)

A polícia na Índia tem mais uma ferramenta de proteção para combater a pandemia.
É uma língua em gancho que consegue imobilizar o infrator sem precisar de sentir o seu odor...

O dispositivo ferranchal tem cerca de metro e meio de comprimento e evita que o agente policial tenha de tocar nos suspeitos e possa usar apenas as algemas para apimentar a quarentena com a sua esposa...

Depois do capacete corona, da viatura covid, é o gancho coronista a resolver todos os problemas, sem necessidade de qualquer revista...

Milhares de indianos já se insurgiram contra este atentado aos direitos humanos!
Até o gado é melhor tratado e inclusive é adorado...

Vários detidos relataram a sua experiência traumática com o enganchamento.
A maior parte confessou que já teve horríveis pesadelos. Apenas comparáveis com os momentos de terror que sofrem sempre que as suas mulheres usam uma pinça para lhes arranjar a monocelha...