Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hetero Doméstico

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

Insólitos insuflados com humor gourmet contrafeito e outros pitéus domésticos

A febre das máscaras sociais veio desenferrujar as máquinas de costura que já tinham pouca procura, dado que não se fazem bainhas em calças que não se usam...

Existem vários modelos, desde o algodão das t-shirts que não já entram nos ombros às cortinas velhas arrumadas nos escombros de uma arrecadação que ninguém quer arrumar...


(fonte da imagem: https://canoe.com/news/good-news/utah-moms-penis-face-masks-raises-thousands-for-charity)

Uma costureira de verdade angariou milhares de dólares para caridade, ao vender o seu modelo de  proteção facial, feito com tecido estampado de um multicolorido genital...

Ao longe, não é possível distinguir o padrão peniano e apenas ao perto se consegue perceber... que não estamos a cumprir a distância de segurança!

As máscaras custam cerca de 20 dólares e como ficam húmidas frequentemente, devem ser lavadas a uma temperatura nunca superior a 60º. Para não haver o risco de as pessoas terem de se chegar demasiado perto para reconhecerem o (hálito) estampado mirrado...

Felizmente tive a sorte de poder aprender a costurar desde pequeno. Nesta altura, o rol de insultos à minha virilidade já descolou de valores como educação e igualdade sexual.

 

Fazer bainhas a calças, coser meias e pregar botões são os únicos pontos que já somei. Talvez esteja a ser modesto, também me desenrasco bem no crochet e no bordado artesanal. Se isto faz de mim menos homem, então a transexualidade existe mesmo!

 

Detesto perder agulhas e já desenvolvi um esquema para as recuperar rapidamente. Costurar no sofá resolve todos os problemas. As agulhas ficam espetadas na almofada da minha namorada e, além disso, é a única forma de a ver gritar e saltar no sofá.

 

woman in a sofa.jpg